27.10.08

Migalhas

E nós ficamos ali, parados, um olhando para o outro, por pelo menos 15 minutos. Eu já tinha dito tudo e até um pouco mais do que precisava. Ela, mesmo calada, parecia explicar, tim-tim por tim-tim, porque as coisas entre nós não dariam certo. Só com o jeito de piscar, de mordiscar levemente os lábios, de arquear os ombros. O ponto final do seu silencioso discurso foi um longo e apertado abraço. Foi quando senti uma estranha sensação de algo se despedaçando em minha calça. Ela saiu, sem se despedir e sem olhar para trás. Minha única reação foi enfiar a mão em meu bolso. Para tirar de lá uma esfarelada paçoquinha chamada Amor.

3 comentários:

eu mesma disse...

Ai Lu, que lindjo!

Que amor se esfarele na paçoca, mas permaneça no coração;-)

Petonets.

Mi Lima disse...

Ai, ai. Cousa mais linda de ler e sentir, mesmo que se esfarele.

l. disse...

Obrigado, meninas! Voltem sempre. :) l.