12.11.08

... e uma boa história.


Adoro fila


Sobre as filas, tenho uma história engraçada. Em uma delas, me distraí por um momento, e, do nada, apareceu um moleque de uns 13, 14 anos na minha frente. Como eu não tinha certeza se ele estava ou não ali antes, fiquei na minha. Logo depois chegou o pai do garoto, o que me fez imaginar que ele realmente já estivesse na fila. Corta para outra fila, bem maior do que as outras, em uma disputada barraquinha de sorvetes italianos. Umas garotas conversam animadas um pouco mais à frente enquanto, sorrateiramente, aquele mesmo moleque de 13, 14 anos se esgueira para dentro da fila. "Que son of bitch", pensei. E, como sou o cara mais psicopata de fila do mundo, não deixei barato. Grudei no furão e falei que sabia que ele estava fazendo aquilo em todas as filas. As meninas me olharam assustadas, mas a cara do menino foi ainda mais assustadora. No Brasil, ele com certeza, discutiria, dizendo que já estava ali, ou dizendo que se enganou, etc. Mas, lá, a vergonha foi tão forte, que o moleque não conseguiu pronunciar uma só palavra. Simplesmente saiu da fila, com uma cara roxa de pavor e sem muito rumo. Depois vi o pai procurando por ele, na fila, sem encontrá-lo. Aqui não, malandrão.

3 comentários:

r! disse...

uzomi num tão acustumado ca malandragi brasileira...quebrou a cara, o pivete!

CordelieK disse...

Hahaha! Muito boa a história! Eu também era o maior filo-psicopático do mundo, mas aqui na Itália tive de relaxar. Tipo, tive de relaxar muuuuuuuuuuuito. When in Rome...

Reca disse...

HAHAHAHAHAHAHAHA! Muito bom! Eu daria o mundo pra ter visto isso... você sair do meio da fila pra dar uma chamada no moleque, a cara do moleque e o pai procurando o moleque!