12.11.06

Sobre ursos e gentes



Dois documentários, de dois velhos - e excelentes - diretores. Aluguei, no mesmo dia, "O Fim e o Princípio" do Eduardo Coutinho e "O Homem Urso" do Werner Herzog. E, coincidentemente, os dois filmes mostravam a relação do homem com a natureza. O alemão mostra a história de um "pesquisador" de ursos no Alaska. Coutinho, a vida e a história de uma comunidade no interior da Paraíba. E tão diferentes quanto as realidades desses dois lugares são os caminhos tomados pelas pessoas dos 2 filmes. O "Homem Urso", conta a trajetória do ativista Timothy Treadwell, que por 13 anos conviveu com ursos no meio do nada na esperança de protegê-los. No fim das contas, por inconformismo ou simples loucura, "Timmy" só que fazer parte daquela natureza, virar um dos ursos. Ao contrário, em "O Fim e o Princípio", o sertão duro e seco, não consegue fazer com que as pessoas desistam da sua humanidade. Por indiferença ou por fé.

2 comentários:

MrParanoid disse...

Apaixonante este O Homem Urso. No melhor estilo "Two thumbs-up!" de crítica norte-americana.

Anônimo disse...

Eu vi o documentário... e ao contrário de pessoas que idolatram esse cretino que teve o fim que mereceu, eu achei repugnante a maneira que esse maníaco, em nome da preservação, fez desaparecer ao mais preciosos 'inprints' da vida selvagem: O de manterem-se afastados dos seres humanos.
Esse falecido paspalho procurou uma maneira de esvair-se da sociedade e viu na convivência com os ursos sua grande chance. Só que, do alto do pedestal, não viu o mal-maior que causou àquela terra. Hoje, boa parte dos ursos pardos daquele parque nacional, não vêem mais os homens como uma grande ameaça. Estejam eles armados ou não.

Parabéns Timmy! Você conseguiu em 13 anos o que o Alaska inteiro não conseguiu em séculos. BABACÃO!!!!